Outubro Patinhas Rosas

  • 29 Set
  • 2016

Outubro Patinhas Rosas

Postado em Saúde Animal por Olhos Felinos Caninos
Outubro Patinhas Rosas

A Importância do Exame Preventivo em Fêmeas Com base no nosso conceito que é Saúde e bem-estar animal, a ação consiste em desenvolver uma consciência sobre a importância do exame preventivo de mamas a ser realizado nas cachorras e gatas. As doenças dos animais são muitas, e os que recebem as principais vacinas já ficam imunes da incidência de uma série de problemas sérios que acometem esse universo com frequência. O câncer de mama nas fêmeas, assim como, uma enorme variedade de tumores malignos, já fazem parte da lista de doenças mais temidas entre os donos de animais de estimação. Tumor e câncer de mama são enfermidades que acometem principalmente fêmeas de cães e infelizmente é muito mais comum do que se imagina. Já a incidência da doença em fêmeas de gatos é menor, porém quando se manifesta a probabilidade de ser maligna é grande.O câncer ou neoplasia é um tumor maligno que se espalha rapidamente pelo organismo através de um processo chamado metástase, onde as células cancerígenas se dividem de forma rápida e desordenada e podem atingir vários órgãos. O câncer de mama é considerado o principal tipo de câncer que afeta cadelas em todo o mundo, e como todo tumor, seja ele benigno ou maligno, inicia-se de forma silenciosa. Apresenta alta incidência nas cadelas acima de 6 anos, independente da raça. Como a maioria dos tumores de mama benignos tem grandes chances de se tornarem malignos, o ideal é a remoção cirúrgica das formações mamárias. Vale salientar que nas gatas cerca de 95% dos tumores de mama são malignos, enquanto que, nas cadelas, essa porcentagem cai para 50%. A doença é desencadeada pela própria produção de hormônios da fêmea que acontece durante os períodos de cio, ou em casos de uso de anticoncepcionais como a vacina anticio. O anticoncepcional interrompe o processo hormonal sempre que a fêmea vai entrar no período de acasalamento, tendo que ser dada a cada 5 meses, ela desencadeia tumores de mama e infecções urinárias. Várias outras doenças também poderiam ser responsáveis pelos mesmos sintomas, de modo que o médico veterinário irá querer descartar qualquer uma delas antes de chegar a uma conclusão. O diagnóstico é realizado principalmente por exames clínicos das mamas e exames citológicos do nódulo. Poderá também incluir hemogramas, urinálise, ultrassonografia e tomografia. E, em alguns casos, ser necessário a realização de uma biopsia da mama para detectar se o tumor é benigno ou maligno. Os sinais iniciais são o aumento do volume das glândulas mamárias, que com o tempo formam nódulos. Existe um grupo de sintomas que costumam acompanhar muitas das fêmeas portadoras de tumores de mama em estágio já avançado, que são caroços na região das mamas, inchaço ou dilatação na área mamária, dores na região das mamas, presença de secreções e odor desagradável Nos casos em que o tumor está em um estágio muito avançado, pode ser necessária a realização de cirurgia associada à quimioterapia. a) Tratamento cirúrgico Visa a remoção do tumor, visto que é uma opção que auxilia no tratamento. b) Quimioterapia É realizada através da injeção de medicamentos. Ao contrário do que muitos acreditam, esse tratamento não possui a mesma severidade em cães e em humanos, pois os animais costumam apresentar bem menos efeitos colaterais, como vômito e diarreia, e apenas 5% dos animais passam mal com a quimioterapia. Quanto antes o tumor for detectado, menos agressivo será o tratamento, maior será a chance de sobrevivência e melhor será a qualidade de vida do seu animal. c) Medicamentos paliativos Os medicamentos são técnicas paliativas para amenizar os sinais clínicos que diminuem a qualidade de vida do animal, como é o caso da dor provocada pelo tumor. Eles devem ser prescritos apenas pelo médico veterinário, se houver necessidade. A detecção precoce do câncer de mama nas fêmeas é fundamental para que haja eficácia no tratamento da doença. Além de manter a atenção nas possíveis mudanças no corpo do animal, também é essencial realizar visitas periódicas ao médico veterinário, permitindo que o animal seja examinado com frequência e que, com isso, as chances de um diagnóstico precoce aumentem. Ao contrário de muitos outros tipos de neoplasias (tumores), o câncer de mama não conta com um grupo específico de raças que tenham uma propensão maior para o surgimento da doença ao longo da vida; e absolutamente todas as raças caninas e felinas, infelizmente, estão sujeitas a sofrer com este problema, sendo que, quanto mais velho for o animal em questão, maiores serão s suas chances de desenvolver a doença. Embora não haja fatores específicos que possam ajudar a prever o surgimento do câncer de mama em fêmeas, já há algumas medidas que se provaram bastante eficientes na prevenção desse tipo de neoplasia (tumor). A castração da fêmea antes do seu primeiro cio é considerada a forma mais eficiente de manter o animal afastado dos riscos de desenvolver esse tipo de doença, já que é, justamente, a porção hormonal das cachorrinhas a grande responsável pelo aparecimento de disfunções que podem influenciar no surgimento da doença. A castração na fase jovem do animal das cachorras e das gatas, reduz a chance de desenvolvimento do câncer de mama em até 99%. A castração reduz muito as chances de uma fêmea desenvolver câncer de mama. Em cadelas castradas antes de seu primeiro cio, o risco de desenvolver câncer de mama é realmente bastante raro. Cadelas castradas antes do primeiro cio, possuem uma probabilidade de 0,05% de desenvolver tumores mamários. Cadelas que foram castradas após ter passado pelo primeiro cio tem uma probabilidade de 8% de desenvolver câncer de mama. Já as fêmeas de cães que foram castradas após terem passado pelo segundo cio já tem uma probabilidade de 26% de desenvolver câncer de mama. Acredita-se que a eliminação ou a redução de hormônios como o estrogênio e a progesterona provoquem a diminuição da incidência desta doença em cadelas castradas. Fique atento, pois um toque pode salvar a vida de seu pet!

Leia mais